Posts

Consumidor consciente: como gastar bem e economizar

Você já se deparou com uma promoção que se tornou um verdadeiro presente de grego ou simplesmente aquele produto que aparentemente seria muito útil acabou ficando guardado no fundo do armário?

Segundo especialistas em finanças, é possível guardar mais de R$350 por ano em compras no supermercado, se o consumidor estiver atento a algumas dicas. Nesse sentido, o primeiro passo é fazer a lista de compras e segui-la a risca, já que é fácil levar produtos excedentes ao necessário. Por outro lado, preste atenção no prazo de validade principalmente ao comprar mercadorias em promoção para evitar que estraguem antes de serem consumidas. Mas não hesite em reclamar se encontrar um produto estragado com a data dentro da validade! O estabelecimento comercial tem a obrigação de trocar o produto ou devolver o dinheiro imediatamente.

Faça e siga a lista de compras

Outra maneira de economizar no supermercado é evitar o desperdício. Se você precisa somente de 1kg de maçã, porque levar a mais e arriscar a jogá-las fora antes do final da semana? Além disso, resista à tentação e compre somente produtos da estação que são mais baratos e, em geral, qualquer receita culinária tem opção de alimento substituto.
Por último, adquirir semanalmente é mais vantajoso para o consumidor, pois geralmente tendemos a levar somente o necessário. Se as compras são mensais, a chance de encontrar mantimentos estragados no armário aumenta substancialmente.

LIQUIDAÇÕES – tentação difícil de resistir não é? E realmente devem ser aproveitadas, já que o consumidor tem a chance de adquirir produtos de qualidade por um preço mais acessível. Porém, é bom se perguntar “eu realmente necessito de duas peças semelhantes?”.

A palavra-chave do consumidor consciente em caso de promoção é adquirir somente peças básicas, já que você usará no ano seguinte e ficar longe dos artigos que estão na moda e provavelmente serão completamente old fashioned em alguns meses.
Por outro lado, com alguém que visa evitar dívidas desnecessárias, outra dica é evitar o cartão de crédito quando você for às compras. E se possível, leve à vista pois, é mais fácil conseguir descontos maiores no valor das mercadorias.
Porém, quando não houver liquidação nem desconto? Não existe regulamentação que obrigue o lojista a vender mais barato, mas você também não tem a obrigação de comprar neste local, por isso, tente negociar, sempre!

Não sabe o que fazer com a câmera digital que você comprou mesmo sem precisar? Tem alguns vinis raros, mas que não cabem mais no apartamento? É claro que uma boa ação pode ser feita através de doação, mas outra dica legal é tentar negociar aqueles produtos que mas não lhe servem mais. Vai render um dinheiro e sobrar mais espaço não é?

ECONOMIZE! – Lembre-se de que o segredo da riqueza ou pelo menos da segurança financeira é guardar antes e comprar depois de acordo com 10 a cada 10 especialistas em finanças pessoais. Para isso, pode ser necessário mudar o estilo de vida tendo um carro menor e reduzindo os jantares fora de casa ou as idas ao cinema.

É importante descobrir por onde está escapando o dinheiro. Para isso, o consumidor consciente vai precisar de disciplina. Um exemplo disso poderá ser anotar todas os gastos diários, desde as guloseimas e os cafezinhos no bar do trabalho até o pagamento do financiamento do automóvel. A partir de então, você terá a ideia de onde o dinheiro está sendo mal-empregado.

Em casa, é melhor gastar com o reparo de vazamentos do que com a conta mensal de água

Por Samantha Klein

Participe da Promoção da BAND e venha para o Curso Guia da Saúde Financeira!

Equilíbrio e prosperidade nas finanças em apenas sete passos é a proposta do curso “Guia Prático da Saúde Financeira”, que será ministrado no próximo dia 27 de agosto no auditório da AMRIGS, pela advogada Fernanda Guimarães e pela psicóloga Rosalia Schwark. Com cinco horas de duração, o encontro se propõe a revolucionar crenças sobre dinheiro e patrimônio, ensinando técnicas de organização de despesas e dívidas. 


“Não há como resolver o futuro sem dominar o presente. É com critérios técnicos que se coloca hierarquia nas dívidas, para livrar-se delas”, afirma Fernanda Guimarães, especialista em Direito do Consumo e autora do blog “Diário de Consumo”.

“Quando se tem crenças e atitudes limitantes com o dinheiro, o dinheiro é limitado em nossas vidas”, acredita Rosalia Schwark, psicóloga e idealizadora do projeto Movimento Perfeito. 

O evento ocorre das 13h às 18h, com inscrições prévias pelo telefone (51) 3062.3864. O pagamento do curso já faz parte do aprendizado: o valor de 100 reais da inscrição pode ser negociado em até quatro vezes.

Clique na imagem para participar da promoção da BAND



Quer garantir sua vaga sem custo algum? Inspire-se, participe da promoção e boa sorte! Clique aqui para ir ao site e preencher seu cadastro. 



Por Gabriela Maslinkiewcz

Como Reduzir Gastos – Décimo Passo: VESTUÁRIO

O
vestuário é, para algumas pessoas, um poço sem fundo nas despesas. Mas é
possível economizar na sua roupa,
principalmente quando se está com problemas financeiros e tem de decidir onde
fazer os cortes. Com um pouco de planejamento, é possível encontrar bons
negócios e boas peças de roupa para enfrentar os dias difíceis que aí vêm.
Basta que elimine as compras compulsivas e procure os locais e alturas certas
para as compras.
Muitas
vezes nem sequer se precisa comprometer a qualidade do vestuário. Não
é apenas no supermercado que tem gente substituindo o que está caro pelo mais
em conta. Quando o assunto é roupa, também dá para substituir. De acordo
com a Fundação Getulio Vargas (FGV), o vestuário representa 6,81% dos gastos
das famílias e teve um aumento de 4,56% nos últimos 12 meses. Blusas femininas
ficaram 12,91% mais caras. Vestidos e saias subiram 14,27%.
Outro
estudo, realizado pela TNS InterScience, apontou que a distribuição de gastos
da classe média alta, com renda média familiar de R$ 8,3 mil, é bem diferente
das populares. Enquanto as classes menos privilegiadas gastam 32% dos seus
rendimentos com moradia, a média alta gasta 11%, menos do que com vestuário
(13%) ou lazer (12%).
Como
o peso dos gastos com moradia e alimentação é menor, a distribuição é mais
equilibrada, ou seja gastam mais com vestuário, lazer, educação e viagens”
diz a especialista.
Falando diretamente
para as mulheres, o que difere as mulheres dos homens nesse aspecto é que pra a
variedade sem fim de roupas de todos os estilos, cores e preços, e a quase
necessidade de ter uma novidade no guarda-roupa, ou uma roupa mais diferenciada
pra uma ocasião especial. O pecado é não pesquisar preços e agir por
impulsividade. Seria interessante dar uma olhada nas outras lojas em blusas
similares, às vezes até iguais, para comparar os preços e comprar, obviamente,
na loja em que a qualidade for igual, mas com um preço menor.

Outra dica antiga,
mas que é muito válida na hora de economizar com vestuário, é aproveitar as
trocas de estação. Roupas mais básicas que não saem de moda podem custar muito
menos quando compradas nas liquidações de troca de estação. Os descontos
realmente são grandes, podendo variar de 30% a 80% em média. Dessa forma, você
sempre terá uma roupa legal pagando muito menos por ela.
Aqui ficam agumas
dicas da Dra. Fernanda Guimarães para cuidar do seu bolso sem sair da moda:
1 – Rodízio de roupas? Parece estranho e fora de
moda, mas a verdade é que a moda é um ciclo. O que está na moda hoje,
provavelmente estará na moda dentro de alguns anos. Guarde suas roupas, mesmo
aquelas que você julga estar fora da moda, pois no próximo ano elas poderão ser
a nova tendência de consumo. Lembre-se também que para andar na moda não
precisa gastar sempre. Com um pouco de criatividade é possível ser elegante e
de bolso cheio.

2 – Alguém já lhe parou na rua e pediu para analisar a sua pulseira ou a sua
corrente para saber se realmente era de ouro? Então, umas bijuterias às vezes
causam o mesmo efeito de uma jóia cara, com um custo bem mais barato.

3 – Criticar a quantidade de calçados de uma mulher é como tentar criticar os
gastos de um homem com bebidas. Coisas que não se justificam. Em geral as mulheres
costumam ter pares variados de sapatos, prontos para combinar com qualquer
bolsa ou vestido elegante. Será que conseguimos repetir de sapato às vezes?
Realmente é necessário utilizar um par de sapatos novo em cada ocasião
especial? Se este não é o seu caso, que bom, continue assim, mas para uma
grande quantidade de mulheres o prazer de comprar um sapato novo é
indescritível.

4 – Vender roupas usadas … Passou pela sua cabeça? E pode ser até pela
internet! Esse mercado existe e paga preços razoáveis, principalmente se a
roupa for de alguma grife. Considere e hipótese não só de vender, mas também de
fazer um bom negócio comprando peças semi-novas. Os sites de leilões virtuais
são ótimos para isso.


5 – Comprar
só quando realmente se precisa é quase impossível, mas é o fator que faria a
maior diferença no seu orçamento. A verdade é que a maior parte das pessoas não
compra roupa quando precisa, mas antes por outros fatores. Pode ser por
diversão, por aborrecimento, etc. Não faça isso! Compre roupa apenas quando
precisa de trocar alguma peça que já não possa utilizar.
6-
Promoções são ótimas, se você esperou por elas. Se realmente aguardou para
comprar aquela peça que era uma necessidade por um preço melhor. Por que estas
também podem ser um grande vilão no orçamento, quando a mágica do desconto lhe
faz comprar mais peças do que necessitava, itens que não eram prioridades ou gasta
valores que não estavam em seu planejamento para o orçamento do mês.
Por Gabriela Maslinkiewicz

Promoção “O seu dia a dia de consumidor”

Para celebrar o lançamento oficial do Blog Diário de Consumo, convidamos nosso leitores a visitarem o estande do blog na 5ª edição da Expo Money Porto Alegre e compartilharem seus questionamentos, histórias e opiniões a respeito de suas relações de consumo. 

Já recebeu pelo correio um cartão de crédito que não requisitou e depois recebeu uma fatura de cobrança? Você já comprou um produto pela internet e ele chegou danificado? Não pode pagar no cartão de crédito por ser um valor baixo? Sua operadora de telefonia já lhe cobrou taxas por um serviço que não contratou?

Estes são alguns exemplos de situações que queremos ouvir diretamente de você. 

Os 15 primeiros visitantes a prestarem um video-depoimento no estande do Diário de Consumo ganharão uma linda Ecobag. Compareça e aproveite! 

Por Gabriela Maslinkiewicz