Posts

Fidelização: o que é válido e como contestar quando o assunto é telecomunicação

O casamento com as companhias de telecomunicações talvez seja o menos desejado e para comprovar isso basta verificar as reclamações em fóruns na internet ou os boletins de queixas dos Procon’s. Por sua vez, as cláusulas de fidelização nem sempre são permitidas, como é o caso dos serviços de telefonia fixa e internet banda larga fixa, conforme os regulamentos da Anatel.

Já com relação à TV por assinatura, telefone e banda larga móvel, a prática é regulamentada, mesmo assim, sob algumas condições. Não à toa, muitos juízes têm o entendimento de que a fidelização não é válida por ferir o direito de consumidor e a livre concorrência. 


Primeiramente, a fidelização tem que ser resultado de um benefício que o consumidor aceita e pode escolher. “Nenhum cliente deverá ser obrigado a ficar fidelizado ao aceitar ou não um desconto e a multa pela desistência tem que ser proporcional às vantagens”, destaca Veridiana Alimonti, advogada do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec). Isso significa que a multa pode ser equivalente ao desconto recebido ou ao aparelho recebido de graça, por exemplo.

Além disso, a multa rescisória tem que ser proporcional ao tempo de uso do serviço. “Se você utilizar somente por seis meses, deverá pagar somente o equivalente a este período, sempre lembrando que o tempo máximo que a lei permite para a existência de fidelização é de 12 meses”, destaca a advogada.

E diante de uma má prestação de serviços, o consumidor tem o direito de pedir o cancelamento do contrato mesmo sendo fidelizado a qualquer momento sem ônus!


Você se identifica?

Mesmo depois de se dispor a arcar com a multa rescisória da quebra de contrato com a Claro para cancelar a banda larga 3G e acabar com uma fidelização mal-sucedida, Marjuliê Martini não conseguiu se livrar da conta da empresa e ainda teve o nome colocado no SPC indevidamente.
Os problemas começaram quando a jornalista foi pagar a conta e não conseguiu fazer via internet porque o sinal foi bloqueado.

Somente depois de ligar cinco vezes para o SAC da empresa é que descobriu que não tinha mais sinal da rede para a residência dela (no centro de Porto Alegre). A partir disso, a assinante resolveu pedir o cancelamento da conta no final do ano passado.
“Consegui efetuar o pedido no dia 28 de dezembro, só que nunca cancelaram. Pedi para pagar tudo, até o que não devia – já que não tinha recebido o serviço – e a multa, tudo para me livrar da Claro. Mas nem dizendo que eu ia quitar a conta houve uma solução. Em abril, veio uma cartinha me dizendo que tinham me colocado no SPC”, lamenta.

A quem reclamar?

Depois da ameaça de as operadoras terem que suspender as vendas de novas linhas e planos de dados no Estado, o Procon/RS chegou a um acordo com as companhias de telefonia celular para minimizar os problemas dos clientes com as cláusulas de fidelidade. Em até 15 dias depois da compra, se o consumidor perceber que a internet 3G não funciona, ele poderá quebrar o contrato sem ônus em razão da fidelização.

Na prática, se o adquirente não consegue se conectar, a empresa já está descumprindo o contrato. “A medida é interessante, pois o consumidor tem esse tempo para fazer o cancelamento”, considera Veridiana. Mas ela recorda que, embora o acordo reafirme o direito do consumidor de cancelar os serviços, é importante estar atento para que o exercício desse direito não perca força depois do vencimento do prazo. “Se a internet der problema posteriormente, o caminho é procurar o Procon ou a Anatel. Porém, sempre ressaltamos que o primeiro passo é reclamar para a empresa que é obrigada legalmente a resolver os problemas em todos os setores, não somente o ramo das telecomunicações”, ressalta a advogada do Idec.

Conforme a legislação, as prestadoras de serviços têm cinco dias úteis para solucionar o mau funcionamento. Se não houver resposta satisfatória, o caminho é procurar ajuda no Procon, nos juizados especiais ou ainda através da justiça comum.

A Marjuliê, que tentou novamente solucionar o problemão da internet 3G, procurou mais uma vez a Claro, só que dessa vez, se dirigiu a uma loja física e tomou conhecimento de mais uma irregularidade na má prestação do serviço. Ela não somente estava sendo cobrada por um, mas por dois modens. O primeiro instalado cinco meses antes não funcionava e, mesmo depois da realização da troca, a operadora ainda cobrava pelo equipamento. Apesar de ter recebido a esperança de que o impasse seria resolvido, ela ainda recebe cartas de cobrança e a promessa de que receberia uma ligação da companhia para cancelar de vez a assinatura, ela continua com as promessas e nenhuma solução. Só que dessa vez deve procurar o caminho dos tribunais. “Já nem abro mais as cartas de cobrança indevida que continuam chegando. Agora só estou juntando os documentos”, resume.

Por Samantha Klein

Não consegue emitir bilhetes com milhas da TAM? Eu posso ajudar!

Nada como passar pessoalmente pelo problema para, mesmo
trabalhando com Direito do Consumo, obter um caminho mais promissor. Lembro que,
há pouco mais de 4 anos, bastava ir à loja TAM do aeroporto e “escolher” (veja
bem o verbo que indica que havia “opção”) o melhor destino e horário para
emitir os bilhetes usando as tais milhas aéreas acumuladas. E, não muito longe
ainda, era possível, ao menos, optar pelo vôo diurno ou noturno, mesmo que em
datas mais restritas. Mas está tentando emitir bilhetes aéreos com milhas da
TAM/Multiplus recentemente? Então já sabe que tudo isso mudou e que, se obter 1
mísero assento nos próximos 6 meses para voar para Miami ou Orlando, você é um verdadeiro
vencedor!

Confesso que conseguir emitir 3 bilhetes juntos para um vôo
internacional, em classe
executiva, foi
uma sensação de sucesso indescritível. E se foi possível fazer isso, deve-se a
um roteiro básico, que espero que possa auxiliá-lo a também conseguir:

1
– Para emissão de bilhetes internacionais, em especial para os EUA e Canadá, esqueça
o site da TAM e as lojas do aeroporto
.  Algumas
informações prévias são importantes:




(a) o prazo de validade dos bilhetes
internacionais é de 6 meses
. Isso quer dizer que você poderá emitir passagens,
a contar de hoje, para até 180 dias. Assim, se quer viajar em abril, por
exemplo, inicie a busca por assento agora em outubro;

(b) pelo mesmo motivo, teoricamente, os
assentos para os vôos com data daqui exatos 6 meses deveriam ser todos
liberados hoje às 00:01 da madrugada. Contudo, segundo o que funcionários da
própria TAM me disseram, essa lógica não é perfeita. Isso porque os assentos
podem ser liberados “aos poucos”
, o que quer dizer que se você não conseguiu
hoje, amanhã é outro dia e é preciso seguir tentando;


(c) existe a baixa e a alta temporada, ou
seja, somente entre 15 de março e 31 de maio e de 16 de agosto até 30 de
novembro é possível emitir bilhetes com aquele número mínimo restrito de pontos
(20 mil para cada trecho Brasil-EUA e EUA-Brasil ou 30 mil para cada trecho
Brasil-Europa e Europa-Brasil). Todas as demais datas são consideradas alta
temporada e pode ser que você esteja procurando o impossível, pois, pela
própria regra do programa de milhagem, não haverá qualquer assento na alta
temporada pelo número mínimo de milhas (aqueles 20 e 30 mil para classe
econômica). Acesse o link da TAM
 e confira a pontuação necessária para cada
época e destino;

(d) o site da TAM somente disponibiliza buscas
nos vôos da própria companhia
. Dessa forma, você abrirá mão das consultas junto
a United, Air Canadá, Continental, Lufthansa, TAP, entre outras. Lógico que
vale conferir, até diariamente, a disponibilidade. Contudo, hoje é mais fácil
emitir trechos pelas demais companhias da Star Alliance para os EUA do que
diretamente com a TAM;

(e) as lojas dos aeroportos possuem, a
princípio, o mesmo sistema de consultas da Central de Atendimento (4002.5700),
mas há restrição de horário. Muitas das reservas “caem” ou assentos novos são disponibilizados
depois das 20 horas ou antes das 6 da manhã. Já ouvi dos próprios atendentes da
loja da TAM do aeroporto Salgado Filho em Porto Alegre que muitos clientes
saiam de lá sem conseguir a reserva, mas acabavam retornando depois, somente
para emitir os bilhetes e fazer o pagamento direto das taxas de embarque, com
códigos de reserva obtidos pela Central de Atendimento;

(f) você pode fazer a reserva e não emitir no
mesmo dia
. Isso quer dizer que é possível ficar ligando e renovando alguns
trechos até conseguir “fechar” a viagem toda. Por exemplo, você conseguiu hoje
a reserva de ida, mas ainda não abriram os assentos para a volta. Para não
correr o risco de emitir e depois ter que cancelar ou perder os assentos de ida
esperando reservar somente tudo junto, faça a reserva sem emissão. Confira o
horário final limite para renovação e vá ligando sempre que possível.
Persistência!

2
Utilize a Central de Atendimento (4002.5700). Os melhores horários são após
as 22 horas e antes das 6 horas da manhã. Eu emiti meus últimos bilhetes
exatamente às 23h20min de um domingo;

3
– Seja gentil e educado com os atendentes. Afinal, você depende exclusivamente
da boa vontade deles
na busca de assentos. Informe-se sobre aeroportos próximos
e sugira a eles que também pesquisem por essas alternativas. Por exemplo, para
o destino de Orlando, tente também os aeroportos de Tampa e de Port Canaveral.
Cogite conexões estratégicas. Pode não ser tão ruim trocar de aeronave em
Houston ou Washington, dependendo do seu destino. Contudo, confirme se os
trechos internos (dentro dos EUA) honrarão com a franquia de bagagem
internacional (2 vezes 32 kilos para cada passageiro);


4
– Saiba que algumas coisas são possíveis e outras não: pela United, por
exemplo, pode-se unir um trecho em classe executiva com outro em classe
econômica. Paga-se milhas pelo trecho maior. Já com a Continental, somente conectam-se
trechos de classe equivalente ao de saída, ou seja, eu havia conseguido
assentos no vôo São Paulo – Houston em executiva e depois em Houston – Orlando
em econômica, mas não foi possível emitir os bilhetes porque, pela regra da
Continental, mesmo que eu pagasse tudo como business,
o sistema não aceitaria finalizar.  E,
infelizmente, não dá para fazer stop
e ficar uns dias na conexão. O sistema de reservas só reconhece como um “mesmo
bilhete” conexões de no máximo 23h59min minutos. Se precisar parar, serão
cobradas as milhas correspondentes ao trecho interno;

5
Dedique-se! Levam-se em média 10 dias para conseguir a emissão de bilhetes
internacionais (EUA e Canadá), mas saiba que eles ainda existem sim!



Por Fernanda Guimarães para Melhores Destinos 

Time Sharing de Hotéis – É um bom negócio?

(acesse também nossa postagem recente sobre o assunto clicando aqui e nosso site exclusivo sobre o tema, clicando abaixo ou direto pelo link www.meutimeshare.com.br)



clique na imagem para abrir o site dedicado ao tema

 

Time sharing, Timeshare, Time-Share ou simplesmente “tempo compartilhado” é uma forma de vender pacotes turísticos para o mundo inteiro, que já é comum em países europeus e cresce no Brasil. Nesse sistema, você adquire períodos determinados de tempo para desfrutar em hotéis, pousadas, condomínios e resorts, além de eventuais benefícios, como descontos em restaurantes.

 
A compra de timeshare equivale a um pagamento antecipado de férias futuras. Se as despesas não forem muito superiores, o mais interessante é aproveitá-las o maior tempo possível uma vez que as semanas futuras estão pagas. A venda é feita como se a pessoa estivesse adquirindo um pacote de diárias de hotéis que vale no mundo todo, por um preço parcelado em vários meses e que pode até ser pago no cartão. Se o consumidor não quiser ficar no alojamento que lhe está atribuído, pode eventualmente arrendá-lo durante o período que lhe está atribuído.
O preço de compra é mencionado no contrato. Ele varia em função da estação do ano, da duração da estadia, da capacidade de ocupação e da localização do alojamento, do seu equipamento, etc. Mas ao preço do timeshare (Direito Real de Habitação Periódica – DRHP, Direito de Habitação Turística – DHT, cartões e clubes de férias, cartões turísticos ou outros de natureza semelhante) é necessário somar as despesas suplementares, que correspondem a despesas de gestão e de manutenção, a pagar todos os anos, mesmo que o alojamento não tenha sido ocupado. Estas despesas são denominadas de prestação periódica. 
Para avaliar se o time sharing é interessante, deve-se comparar o custo desse sistema com a compra de um imóvel para veraneio ou com a estadia tradicional em hotéis. Às vezes, mesmo para uso de apenas uma semana por ano, o valor de aquisição do título de time sharing pode chegar ao de um imóvel, dependendo da localização e do tamanho.
 
Do ponto de vista sócio-económico, o time-sharing oferece uma série de vantagens para os consumidores, como proporcionar a oportunidade de férias em locais distantes e mais suntuosos àqueles com orçamento limitado,  através das das despesas fixas da residência de férias serem repartidas entre os diferentes detentores de timeshare. Também há vantagens para os industriais deste setor que que vêem aumentar a lotação dos locais de férias.
 
O time-sharing em si, não é uma fórmula perigosa, mas muitas práticas comerciais que lhe estão ligadas deixam muito a desejar. Estes problemas existem devido ao fato de, na sua maioria, os promotores ou vendedores não estarem submetidos a nenhuma regra para aderir à profissão, contrariamente ao que acontece no setor das agências de viagens.
 
Alguns vendedores não hesitam em recorrer à publicidade enganosa e agressiva, apresentando o time-sharing como um direito de propriedade e utilizando-se de telemarketing ligado a concursos falsos, questionários e sorteios, viagens, venda após demonstração num hotel de luxo ou uma excursão, prestações baixas, etc.
 
Deve-se tomar cuidado também com os prospectos de venda são, muitas vezes, sucintos e omitem a natureza jurídica dos direitos adquiridos, a qualidade do alojamento, as despesas suplementares, de transporte, o inventário das residências e as semanas disponíveis. A falta de informação reduz as hipóteses de troca ou de venda do time-sharing. Por vezes, são mesmo impossíveis caso o empreendimento e a semana sejam desinteressantes.
 
Portanto, tome muito cuidado e pense bastante a respeito antes de tomar uma decisão e principalmente assinar qualquer tipo de contrato.


Optando pelo CANCELAMENTO, faça-o o mais rápido possível e por escrito! 


Para quem passou dos 10 dias previstos na legislação americana para cancelamento direto, informe na mensagem para que possamos orientar de forma precisa. Será necessário envio de Notificação Registrada.
Por Fernanda Guimarães e Gabriela Maslinkiewicz




Informação Acrescida em 21/02/2014:

Caros Leitores,
Nosso auxílio no Diário de Consumo não tem a pretensão de ser uma assessoria jurídica integral. Apesar de termos como responsáveis pelo blog advogados reconhecidos nesta área, não é viável individualizarmos aqui o problema de cada um dos leitores.
Assim, nossa sugestão de carta-modelo é genérica e deve ser usada dentro do prazo de 10 dias, sendo fundamental a comprovação do envio dentro deste prazo. Contudo, sabemos que há como ir além, tanto para aqueles que passaram do prazo, quanto para reaver valores.
A orientação sobre o endereço do destinatário, a forma de envio (como registrar e ter validade) e os procedimentos seguintes para a confirmação do cancelamento e eventual recebimento do dinheiro já pago é prerrogativa exclusiva de um advogado da área de Direito do Consumo.
Recomendamos que você se informe junto a um escritório de advocacia que realmente tenha conhecimento específico neste trabalho e que seja de sua confiança.
Nossa experiência de muitos anos na harmonização das relações de consumo nos permite dizer que este é o caminho mais efetivo nos casos de fundado descontentamento com sua compra.
Abraço,
Equipe Diário de Consumo

Programas de Fidelidade – Hotéis: A|Club

Líder
mundial em operação hoteleira e líder de mercado na Europa, a rede Accor está
presente em 90 países, com 4,1 mil hotéis e aproximadamente 500 mil quartos.
 Apresentando uma ampla variedade de opções em
hospedagem do mais simples ao mais luxuoso.
O
A|Club é o novo programa de fidelidade dos hotéis Accor que
oferece vantagens e recompensas em mais de 2.300 hotéis no mundo inteiro.
Participando do A|Club, você ganha pontos para cada euro ou dólar gasto e troca
por benefícios exclusivos em toda a rede Accor, que inclui os hotéis Sofitel,
Pullman, MGallery, Novotel, Suite Novotel, Mercure, Adagio, ibis, all seasons e
Thalassa sea & spa. 
No programa não há restrições de datas nos hotéis, os
pontos acumulados nunca expiram, e seus pontos podem ser utilizados em
parceiros do programa como milhas aéreas (veja a lista de companhias aéreas parceiras aqui) e nos postos de gasolina da rede Shell. Você também pode utilizar
seus
pontos do A|Club para completar seu saldo do programa de fidelidade da Shell e
resgatar uma ampla variedade de excelentes prêmios, entre eles,
 descontos em combustíveis.

O sistema é bem simples, quanto
mais noites você se hospedar, maior será seu status de associado A|Club.  Você pode acessar a sua conta pelo site do
A|Club ou configurar suas preferências para receber informações atualizadas
sobre a sua conta por e-mail. A categoria mais alta do programa é Platinum. Seu
status é atualizado automaticamente de acordo com o número de pontos A|Club
ganhos ou de noites hospedadas em hotéis Accor participantes: 

  • Categoria Silver: 10 noites por ano em hotéis participantes, ou 2.500 pontos
    A|Club.
  • Categoria Gold: 30 noites por ano em hotéis participantes, ou 10.000 pontos
    A|Club.
  • Categoria Platinum: 60 noites por ano em hotéis participantes, ou 25.000 pontos
    A|Club.

A rede Accor também, conta com
um programa de vantagens pago, chamado A|Club Favorite Guest, onde a partir de
uma inscrição paga, o cliente tem direito por um ano a vantagens e descontos
exclusivos, como descontos de até 15% nas tarifas dos quartos, prioridade de
reserva, late check-out até as 16h (mediante solicitação e sujeito à
disponibilidade).  Eles também dispõem de tarifas
generosas para ganhar pontos, como 3,5 pontos do A|Club a cada 1 euro gasto
durante suas estadas nos hotéis da rede e a utilização de vouchers do A|Club
para pagar as suas estadas nos hotéis Accor participantes, no Club Med e quando
você alugar um carro na locadora Eurocar. A lista completa de descontos
Favorite Guest você encontra aqui.

Por Gabriela Maslinkiewicz

Programas de Fidelidade – Hotéis: MARRIOTT REAWRDS

Marriott Rewards é o programa de fidelidade que reúne as luxuosas redes Marriott e The Ritz-Carlton, prometendo compreender as necessidades e diferenciações dos clientes e proporcionar uma experiência diferenciada e vantagens exclusivas. A rede Marriott conta com mais de 3.200 hotéis no mundo todo (incluindo resorts) atendendo a diversos tipos de públicos e culturas. 
Para se associar basta se registrar no site, e com apenas 10 diárias ou um evento qualificado por ano já se torna um associado Prata. Eles também disponibilizar um uma página especial na qual você acompanha e gerencia todas as promoções Marriott Rewards e ofertas exclusivas para associados.  O programa também conta com diversos parceiros e associados, onde se pode juntar pontos e milhas, como em vôos da Varig, AeroMexico e Air Canada (você pode ver a lista completa aqui)  e aluguel de carros na Hertz

Níveis de Associação:
PRATA
Descontos e Vantagens: 
Cliente Prata ganha desconto de 10% sobre taxas normais em estadas de sexta-feira e sábado em Courtyard e SpringHill Suites participantes, desconto de 10% quando apresentar o cartão de associado nas lojas de presentes ( sendo que o The Ritz-Carlton oferece um desconto de 10% somente para mercadorias com seu logo). Ao optar por acumular pontos, a conta será creditada automaticamente com um bônus de 20% em pontos básicos acumulados durante suas estadias em todos os hotéis. Também é oferecido ao cliente a prioridade de check-out tardio, com uma extensão de duas horas dependendo da disponibilidade, quando solicitado na manhã do check-out (não disponível nos resorts). As diárias da rede são garantidas ao máximo, com pagamento de hotel próximo e reembolso em caso de inconvenientes com as reservas. E para oferecer ainda mais exclusividade ao associado contam com linhas de atendimento exclusivas com ligações gratutitas.

OURO

Descontos e Vantagens: 
Assim como nos demais, os clientes Ouro ganham descontos de 10% em estadas de sexta-feira e sábado e nas lojas de presentes participantes. Ao optar por acumular pontos, ganha um bônus de de 25% em pontos básicos acumulados durante as suas estadias. Como vantagem exclusiva, o hóspede poderá contar com upgrade para um apartamento melhor disponível sem tarifa adicional (com algumas exceções para Marriott Vacation Club International, Residence Inn, TownPlace Suites), também tem acesso garantido e gratuito nas estadias de segunda a sexta nas propriedades participantes. Também tem garantido o tipo de quarto de preferência, o check-out tardio, acesso gratuito à internet e acesso à linha exclusiva gratuita de atendimento.

PLATINA

Descontos e Vantagens: 
Além dos descontos e vantagens já descritos para os outros níveis de associação, o cliente Platina também ganham bônus de 50% sobre os pontos acumulados durante suas estadias e um brinde Platina garantido na sua chegada, podendo escolher entre uma comodidade como cortesia ou pontos de bônus nos hotéis Marriott. No The Ritz-Carlton, você receberá automaticamente um brinde na chegada de 1.000 pontos se for associado ao programa de pontos ou 500 milhas no programa da sua companhia aérea preferida se for associado ao programa de milhas (para obter mais detalhes, consulte os Termos e Condições da Garantia de Vantagens do Elite).   Além disso, cliente Platina tem garantia de estadia com reservas pagas de até 48h antes da chegada, e possui uma linha exclusiva 24 horas de atendimento Platina.

Clique na imagem para ampliá-la

Por Gabriela Maslinkiewicz

Programa de Fidelidade – Hotéis também têm!

Quando se fala em programas de fidelidade logo se assimila com companhias aéreas, milhas e passagens. Contudo, hoje em dia a fidelização de clientes se expande a quase todas as áreas, indo de postos de gasolina a restaurantes. Os grandes destaques do meio – não por coincidência, bastante aliados à temática de viagens, e às companhias aéreas – são os hotéis.

Apresente seu número de cliente frenquente ainda no check-in.

Com a quantidade de alternativas atuais, os hotéis precisam de mais que um chocolatinho cortesia para fidelizar um cliente, e justamente por isso estão desenvolvendo planos cada vez mais elaborados, contando com pontuações, premiações, parcerias e cortesias. A empresa de pesquisas de mercado especializada na indústria hoteleira Market Metrix divulgou que 34% a mais dos hóspedes se tornaram membros de programas de fidelidade em hotéis a partir de 2003. Além disso, o percentual de clientes com probabilidade de retornar ao mesmo hotel cresceu 6% desde então.

Com a massiva segmentação dos públicos, fica quase obrigatório a qualquer tipo de negócio manter o cliente que já possui na mesma medida que captar novos. Além disso, premiar aquele que se mantém fiel é quase uma obrigação, através de um serviço diferenciado e de vantagens em razão de uma maior utilização do serviço.

Cada programa de fidelidade trabalha com diferentes tipos de associação, dos mais simples (Blue, Silver ou Classic) aos mais sofisticado (Platinum, Diamond ou Premium). Também há casos de parcerias com outros hotéis – não restringindo o cliente e facilitando quando não há um hotel da rede na cidade desejada –, companhias aéreas e, até mesmo, locadoras de veículos (serviços lógicos e totalmente assimiláveis na preparação de uma viagem).

Entre os programas existentes, os mais utilizados e que contém mais vantagens são o Starwood Prefered Guest, Marriott Rewards, A|Club, Hilton HHonors, Hyatt Passaport e Priority Club. Em breve estes serão descritos e detalhados para seu melhor esclarecimento.

Clique na imagem para ver os hotéis participantes dos programas 
Por Gabriela Maslinkiewicz

As 10 melhores dicas para aproveitar suas milhas

I  Antes de comprar qualquer passagem aérea ou fazer a reserva do hotel, faça sua inscrição no programa de milhas da companhia que vai voar ou cadastre-se no programa de fidelidade da rede de hotéis onde pretende hospedar-se. De regra, recebe-se imediatamente o número (na tela final do cadastro ou por e-mail) e é com ele que você deve concluir as reservas, pois, na maioria dos programas de milhagens/fidelidade, só serão creditados os pontos por vôos e estadias realizadas após a data de inscrição.
II – Mesmo que na reserva você tenha informado seu número no programa de milhagem/fidelidade correspondente, não esqueça de apresentar o cartão no check-in ou no check-out do aeroporto e confirmar seu crédito de milhas. Há companhias aéreas que permitem o resgate de pontos após o vôo, mas desde que o viajante já faça parte do programa antes da data do embarque e a solicitação de crédito de milhas seja feita no prazo estipulado nos termos e condições previstos.

III – Nos hotéis, diga no check-in que você é cliente freqüente (filiado ao programa de fidelidade), pois há sempre benefícios para estes hóspedes. A rede Sheraton, por exemplo, tem andares específicos em alguns de seus hotéis apenas para os clientes com cartão. Você também pode receber algum mimo extra, como cortesia no serviço de lavanderia ou uma garrafa de vinho grátis, como um VIP Guest na rede Ritz Carlton (Marriot).

IV – Acompanhe sempre as promoções dos programas de milhagem/fidelidade. Para quem estava atento, a American Airlines ofereceu em 2009 o trecho São Paulo-Miami por apenas 30 mil milhas. A TAM correu e lançou a troca de trechos com a combinação de milhas e dinheiro que foi uma excelente oportunidade.
V – Lembre-se de que as milhas têm validade, tanto no seu cartão de crédito quanto na companhia aérea. Ou seja, você tem um prazo para passar as milhas do cartão para o programa de milhagem/fidelidade escolhido e outro prazo para utilizar as minhas já creditadas lá para a troca de bilhetes. Utilize estrategicamente esses dois prazos. A TAM, por exemplo, estipula um prazo de dois anos a partir da data do vôo ou do crédito. Já no caso do Smiles, a validade é de três anos. Suas milhas estão vencendo e não conseguirá usá-las? Venda-as para algum amigo ou empresa especializada neste tipo de transação.
VI –  Programe a viagem com exatos 6 meses de antecedência, pois este é o prazo de validade dos bilhetes emitidos. Assim, quando abrir a disponibilidade de data no sistema da companhia, você já poderá fazer a troca. E você pode reservar a ida e ir renovando o pedido até encontrar a melhor data de volta. Conseguir emitir com milhas bilhetes para uma boa data de viagem é mais uma questão de disciplina do que de sorte.
VII – Para ganhar mais milhas, conheça os parceiros para receber pontos na maioria das suas compras. Você sabia que a Brastemp tem loja própria (Compra Certa), que vende seus produtos com preços geralmente mais baratos que os das lojas de eletrodomésticos e ainda lhe dá 1 milha da TAM para cada real gasto? Os postos de gasolina Ipiranga também lhe darão milhas a cada abastecimento se você, antes, se cadastrar no programa Km de Vantagens. Descubra quem são os parceiros do seu programa de milhas/fidelidade. Estacionamentos, restaurantes e hotéis estão nesta lista. Algumas companhias aéreas oferecem milhas para os passageiros que realizarem o check-in pela web. Consulte o site das empresas. Quer assinar ou já é assinante das revistas Veja, Época ou Isto É? Faça seu pedido de assinatura destas e de outras revista pelo convênio do Multiplus/TAM e ganhe até 5 mil milhas!
VIII – Ainda, concentre os gastos no cartão de crédito, pesquisando aquele que lhe oferece mais milhas. Geralmente, os das categorias Platinum e Black são os que oferecem mais vantagens. Mais um motivo para concentrar os gastos num cartão somente e chegar logo neste “nível”. Há cartões que já pela adesão lhe concedem um bom número de milhas. Recentemente, as próprias companhias aéreas lançaram seus cartões (TAM Itaucard e American Airline Citi, por exemplo) e através deles o acumulo de milhas pode ser acelerado.

IX – Sinceramente, aconselho que utilize seus pontos rapidamente e troque assim que acumular o necessário para emissão do bilhete pretendido ou da estadia de que gostaria. As companhias aéreas e as redes de hotéis podem mudar as regras de acúmulo e resgate quando desejarem. Ou, pior ainda, podem deixar de voar para certos destinos ou até deixar de existir (nunca esqueceremos da saudosa Varig…). Olhar um saldo de pontos grande é legal e empolgante, mas não utilizá-lo é burrice.

X – Não subestime nenhuma forma de obter pontos. Gasta somente R$ 250,00 em gasolina por mês? Se você abastecer sempre no mesmo posto e cadastrá-lo como “favorito” no programa Km de Vantagens, os pontos concedidos serão em dobro. E 500 milhas vezes 10 meses são 5 mil milhas, o que, pela atual promoção do Smiles, é possível trocar por um trecho para qualquer lugar do Brasil. Ou seja, ainda da tempo da sua viagem de Natal deste ano sair de graça contando apenas com a gasolina do seu carro. Vai comprar só um DVD? Prefira as lojas parceiras do seu programa de milhagem/fidelidade. Acredite, quando você estiver quase completando as milhas que precisa para aquela viagem, vai querer contar todas as “migalhas” para poder trocar logo o trecho.
Por Fernanda Guimarães

Tudo que você sempre quis saber sobre milhas

Todos sabemos que existe, a maioria até usa, mas é muito difícil alguém que realmente aproveite toda a amplitude de vantagens que os programas de fidelidade podem proporcionar. Os programas de milhagem, no geral, foram criados para incentivar o consumo de um determinado produto ou serviço. São eles postos de gasolina, empresas de TV a cabo, livrarias, editoras, hotéis, freeshops, além do mais conhecido e utilizado, das companhias aéreas. E agora mais recentemente também de rede de hotéis.

Os programas de milhagem das companhias de aviação foram desenvolvidos para recompensar viajantes que utilizam frequentemente os serviços da mesma companhia aérea ou suas parceiras, com passagens grátis ou outros prêmios, ou seja, premiar a fidelidade do consumidor, ou criar esta lealdade.

O primeiro passo para acumular milhas é associar-se a um programa de fidelidade de uma companhia aérea. Os mais comuns são o Multiplus (TAM) e o Smiles (Varig/Gol). Mas ainda vale a pena participar do AAdvantage da American Airline e o Victoria da TAP. Fazendo o cadastro nesses programas, você receberá um número de inscrição, que deve ser guardado para a administração e transferências de pontos. Essa bonificação é feita através das milhas obtidas, normalmente a cada distância de 1 milha voada, o passageiro inscrito em um programa de milhagem ganha uma milha-prêmio, se estiver voando na classe econômica. Na classe executiva, há ainda um bônus de 25% sobre as milhas voadas e, na primeira classe, de 50%. 

Para facilitar ainda mais o acumulo de pontos, além das milhas voadas, também é possível acumular milhas com cartões de crédito associados, postos de gasolina, restaurantes, hotéis e locadoras de carro. Basta consultar o manual de seu programa de viagem para ver quais são as empresas e cartões associados. É possível também utilizar estes mesmos pontos para fazer upgrade de classe de serviço no avião, de econômica para executiva, por exemplo, pagar diárias de hotel e conseguir descontos em diversos tipos de serviços afiliados ao seu programa de fidelidade.

Fique atento para alguns detalhes como a necessidade de acumular pontuação suficiente para trocar por passagens em cada companhia, sendo sempre melhor concentrar seus esforços (e vôos) em um único programa. Também, deve-se lembrar que passagem é free, mas as taxas de embarque, emissão e segurança não estão incluídas. Se você emitir através da central de atendimento, pode ter que pagar ainda mais caro por isso. Resgatar a passagem pelos sites da companhia é normalmente a opção mais barata.

O Multiplus
A TAM conta com o Multiplus Fidelidade, que vem com um conceito de redes de programas de fidelização, onde os consumidores podem acumular pontos provenientes de diversos programas de fidelização em uma só conta e resgatar prêmios em várias empresas dos mais diferentes ramos: farmácias, postos de gasolina, telefonia, supermercados, hotelaria, cinemas, livrarias, bancos, cartões de crédito, provedores de internet e fabricantes de automóveis, entre outros.

O TAM Fidelidade continua sendo o programa de relacionamento da TAM com seus passageiros frequentes, oferecendo os benefícios já conhecidos. Porém, agora, seus pontos são contabilizados no Multiplus Fidelidade, proporcionando facilidade de acúmulo dos pontos dos demais programas de relacionamento de que o passageiro já faça parte, e ampliando a variedade de prêmios para resgate. Ele procura trazer maior liberdade para o consumidor juntar e gastar pontos, dando mais abrangência aos programas de fidelidade e ampliando as possibilidades de fidelização e geração de novos negócios para as empresas parceiras.
Parceiros Multiplus
Quanto você acumula voando (por trecho) no Multiplus:

No Brasil ou para a América do Sul: Qualquer trecho, independentemente da distância percorrida, vale 1.000 pontos 
Vôos para países da América Central: 3.000 pontos 
Vôos para países da América do Norte: 5.000 pontos voando TAM ou nas 27 companhias aéreas parceiras Star Alliance
Vôos para a Europa: 6.000 pontos, voando TAM ou nas 27 companhias aéreas parceiras Star Alliance
Vôos para o Oriente Médio: 8.000 pontos, voando com uma das 27 companhias aéreas parceiras Star Alliance.

Para se cadastrar no TAM Fidelidade, acesse o site.

O Smiles


É o programa de relacionamento da Gol/Varig, onde o participante pode acumular milhas voando ou adquirindo produtos e serviços de empresas aéreas parceiras (Air France, Delta, KLM e American Airlines) além de adquirindo produtos e serviços dos parceiros não aéreos, que são mais de 150, incluindo cartões de crédito, locadoras de automóveis, hotéis, restaurantes, lojas virtuais e muitos outros.

Hoje com mais de 7,3 milhões de participantes, o SMILES oferece aos seus participantes que voam freqüentemente com a Gol e com Varig ou Cias Aéreas parceiras a possibilidade de conquistar upgrades de categoria proporcionando ainda mais benefícios como: atendimento diferenciado no check in, maior franquia de bagagem e acesso às salas Vip Smiles em aeroportos, central de atendimento exclusiva. Existem ainda várias formas de utilizar suas milhas, sendo: somente com milhas, com milhas e dinheiro e com promoções. Voando sem limite de assentos.

Parceiros SMILES

Quanto você acumula voando (por trecho) com o Programa SMILES

No Brasil ou para a América do Sul: Desde 1.000 milhas ou o equivalente à distância voada na tarifa mais barata 
Vôos para países da América Central: Em média, 2.500 milhas, mas varia de acordo com a distância voada 
Vôos para países da América do Norte: O número de milhas voadas com a Delta e a American Airlines. Em média, 4.500 milhas entre o Brasil e os EUA 
Vôos para a Europa: O número de milhas voadas com as parceiras Air France e KLM. Em média, 5.500 milhas nos vôos diretos 
Vôos para o Oriente Médio: O número de milhas voadas com as parceiras internacionais (para Istambul, por exemplo, são 6.728)


Para se cadastrar no Smiles, acesse o site.

Qual dos dois é melhor?

É difícil dizer, pois dependerá das promoções e das parcerias vigentes. Mas como o Diário de Consumo não gosta de ficar em cima do muro, vamos optar pelo Multiplus essencialmente pela maior facilidade (ou melhor, menor dificuldade) na hora da troca das milhas por bilhetes. A TAM recebe os pedidos tanto pela internet como por telefone e, principalmente, direto nas lojas dos aeroportos, onde é possível pessoalmente fazer isso. Conseguir a emissão das passagens pelo programa de fidelidade da TAM tem sido menos uma questão de sorte e mais de disciplina, pois com 6 meses de antecedência não é difícil conseguir assentos disponíveis. Infelizmente, a Central de Atendimento do Smiles está bastante deficiente, com relatos de suspensão temporário dos serviços às vezes por mais de 3 dias seguidos.

Como ganhar milhas?


A maneira mais comum de se acumular milhas é através do uso de cartões de crédito, nestes a regra mais comum é: 1 milha/ponto para cada dólar gasto. Esse valor pode variar para mais ou para menos dependendo da categoria do seu cartão e em que companhia aérea você troca essas milhas. Se quiser acumular mais, vale a pena escolher um banco com cartão co-branded (aqueles que têm impressa a marca do programa de fidelidade), pois ele  acumula de 1,3 milha/ponto a 2 milhas/pontos por dólar. Vale lembrar que nem todo cartão de crédito acumula milhas. Verifique com seu banco que bandeiras e categorias têm esse benefício.

Usando o Cartão de Crédito para ganhar milhas


Veja os principais programas de parcerias de companhias aéreas com cartões de crédito  (pesquisa realizada em 2009 pelo ViajeAqui e atualizada agora pelo Diário de Consumo)

Programas de milhagem associados: TAM Fidelidade e Smiles. Ganho pontos ao contratar o cartão? Depende de promoções ocasionais. De regra, nada nos cartões de categoria de entrada. Quantos pontos rendem meus gastos? Cada 1 dólar rende de 1 a 1,5 milha. Tempo de validade dos pontos: 12 ou 24 meses, dependendo do cartão. Anuidade dos cartões: De zero (promoção para o primeiro ano) a R$ 331.

Programas de milhagem associados: TAM Fidelidade. Ganho pontos ao contratar o cartão? Alguns cartões dão de 2 400 a 3 600. Quantos pontos rendem meus gastos? Cada 1 dólar rende de 1 a 2 milhas. Tempo de validade dos pontos: Ilimitado para os cartões American Express. Para outros casos, o tempo é de 24 meses. Anuidade dos cartões: Pode ser grátis ou variar de R$ 141 a R$ 960.

Programas de milhagem associados: TAM Fidelidade e Smiles. Ganho pontos ao contratar o cartão? Alguns cartões dão de 3 mil a 7 mil. Se for isento de anuidade no primeiro ano, não são concedidas mlhas na contratação. Quantos pontos rendem meus gastos? Cada 1 dólar rende de 1 a 1,5 milha. Tempo de validade dos pontos: 24 meses no cartão e, quando trocados por milhas, mais 24 meses na companhia. Anuidade dos cartões: De R$ 38 a R$ 240.

Programas de milhagem associados: AAdvantage, Smiles, TAM Fidelidade. Ganho pontos ao contratar o cartão? Depende de promoções. Quantos pontos rendem meus gastos? Cada 1 dólar rende de 1 a 1,5 milha. Tempo de validade dos pontos: Nunca expiram
Anuidade dos cartões: De R$ 132 a R$ 600, mas é possível obter isenção no primeiro ano se já for cliente do banco.

Programas de milhagem associados: TAP, Delta, TAM Fidelidade e Smiles. Ganho pontos ao contratar o cartão? Alguns cartões dão 5 mil. Quantos pontos rendem meus gastos? Cada 1 dólar rende de 1 a 1,5 milha. Tempo de validade dos pontos: 24 meses. Anuidade dos cartões: De R$ 29 a R$ 180.

Programas de milhagem associados: AAdvantage e TAM Fidelidade. Ganho pontos ao contratar o cartão? Alguns cartões dão de 3 a 5 mil. Quantos pontos rendem meus gastos? Cada 1 dólar rende de 1 a 1,5 milha. Tempo de validade dos pontos: Nunca expiram. Anuidade dos cartões: De R$ 64 a R$ 312.

Programas de milhagem associados: TAM Fidelidade e Smiles. Ganho pontos ao contratar o cartão? Alguns cartões dão até 5 mil. Quantos pontos rendem meus gastos? Cada 1 dólar rende 1 milha. Tempo de validade dos pontos: 24 meses. Anuidade dos cartões: De R$ 36 a R$ 140.

Programas de milhagem associados: Smiles, TAM Fidelidade, Lan Pass, Aeromexico, TAP, Delta SkyMiles. Ganho pontos ao contratar o cartão?  Alguns cartões dão até 20 mil pela inscrição, como na categoria do novo cartão Black. Clientes Banco Real poderão pedir esse cartão a partir de março de 2011. Quantos pontos rendem meus gastos? Cada 1 dólar rende de 1 a 2 milhas. Tempo de validade dos pontos: No Platinum Style, expiram em 36 meses. Para os outros cartões, não há prazo de validade. Anuidade dos cartões: De R$ 196 a R$ 600.

Programas de milhagem associados: TAM Fidelidade e Smiles. Ganho pontos ao contratar o cartão? Alguns cartões dão de 2 500 a 10 mil. Quantos pontos rendem meus gastos? Cada 1 dólar rende de 1 a 2 milhas.Tempo de validade dos pontos: Nunca expiram. Anuidade dos cartões: De R$ 85 a R$ 540.
Continua…

Por Gabriela Maslinkiewicz