Posts

Planilha do Curso Guia Pratico da Saude Financeira

Quer começar a controlar seus gastos? O Curso Guia Pratico da Saude Financeira vai lhe dar uma ajudinha e tanto, através da exclusiva planilha que você pode baixar gratuitamente clicando aqui.

Lá você encontrará campos adaptáveis à sua realidade, onde basta inserir o valor dos seus custos e despesas para obter automaticamente o resultado. E você não ficará somente olhando para o documento preenchido, sem saber o que pode ser corrigido e como melhorar sua eficiência neste controle de gastos. Isso porque a planilha compara o desempenho e a distribuição dos gastos de sua família com os mais recentes e equivalentes dados do IBGE. Ou seja, se está gastando demais no supermercado em comparação à média das famílias brasileiras com renda equivalente a sua, a planilha informará isto no resultado e você então saberá por onde começar a controlar. 

Além disso, para cada resultado “negativo” (sinal amarelo ou vermelho), haverá um texto correspondente com dicas de como melhorar naquele tópico. Tudo para que você realmente consiga manter sua saúde financeira. Aproveite!


Por Fernanda Guimarães

Lançamento Oficial Diário de Consumo

Após um soft open de muito sucesso, o Blog Diário de Consumo será oficialmente lançado durante a Expo Money Porto Alegre, nos dias 01 e 02 de dezembro, no Centro de Eventos da PUCRS, onde o blog contará com um estande de apresentação.

Formado por uma equipe experiente e disposta a realmente auxiliar os leitores, o blog Diário de Consumo veio para servir como uma ferramenta de alerta e ampliação de conhecimento ao consumidor, através de depoimentos e informações relevantes a todos que querem fazer valer seus direitos.


Durante o evento, gostaríamos de conhecer você e suas experiências. Para isso, o estande contará com um espaço onde o público será convidado a dividir seus questionamentos e opiniões a respeito de suas relações de consumo. Os 15 primeiros visitantes a prestar um vídeo-depoimento no estande do Blog na Expo Money Porto Alegre ganharão um linda Ecobag do Diário de Consumo.


Por Gabriela Maslinkiewicz

Novo Colunista no Blog: Fly e sua “Dança das Finanças”

Vagner Meneses Pereira. Esse é o nome do educador financeiro e nosso novo colunista do Diário de Consumo. Até aí estaria tudo normal, se não fosse a revelação de que esse Vagner é o Fly, o coreógrafo da Xuxa e do Caldeirão do Huck. Ele conta que começou dando conselhos a amigos, e a procura foi tão grande, que criou o “Flynveste”, um email gratuito com dicas de finanças, que é enviado diariamente para dezenas de pessoas. E então não parou mais. Ele também dá cursos, aulas e palestras sobre o assunto.

A pergunta, presente no próprio release dele, é: “O que um coreógrafo está fazendo no ramo de investimentos?” E a resposta ele mesmo explica: “Eu estava na faculdade de marketing e em uma ótima fase profissional, mas estava gastando mais do que deveria e acabei ficando com algumas dívidas. Existia uma matéria na faculdade chamada ‘Finanças e Marketing’ que era muito complicada e com uma linguagem difícil, mas o professor sabia muito sobre o assunto. Acabei pedindo ajuda para os meus problemas financeiros pessoais e ele me deu o cartão dele. Se meu problema era justamente estar sem dinheiro, eu não podia pagar a consulta dele, por isso, resolvi correr atrás sozinho”. Após isso, Fly se formou em Marketing e há 10 anos se especializa na área financeira.


O objetivo de Fly é que a pessoa saiba como estar preparado para o mercado financeiro, sabendo assim como lidar com seu dinheiro. Com isso, ele orienta as pessoas a começarem a pensar no investimento a longo prazo, o principal foco de seu ensino. Para o educador, é apenas dessa forma que se pode fazer o dinheiro aumentar de forma significativa.
       
Mas se você pensa que vai ler aqui textos cheios de formalidades,  como siglas difíceis e cara-de-terno-e-gravata, engana-se. Fly ensina tudo de maneira rápida, prática, simples e com muito alto astral, sua maior característica. Isso tudo, para mostrar que um coreógrafo pode sim fazer parte do ramo dos negócios, do investimento, do dinheiro. Porque ele, melhor do que ninguém, pode fazer uma “coreografia” para aumentar a renda e não deixar ninguém dançar diante de algum problema financeiro. Quem quiser saber mais sobre o Fly e sua educação financeira, pode acessar seu Site e o blog. 


Alguma dúvida de que esta tem tudo para ser uma das colunas mais lidas deste blog? Basta dizer que nas suas requisitadas e sempre lotadas palestras, um dos primeiros conselhos para quem está endividado é “parar de pagar as contas imediatamente”, tornando assim possível traçar metas e prioridades. Solucionar as dívidas dizendo simplesmente que é necessário não gastar mais do que se ganha, que devemos viver em regime de guerra no orçamento e ainda que o coitado do devedor precisa urgente arrumar renda extra, como muitos economistas insistem em falar, é muito fácil. Louvável é ter vencido pessoalmente o problema através da busca pela informação correta e ainda conseguir multiplicar este conhecimento de forma efetiva e empolgante. É claro que é este o educador financeiro de que o Diário de Consumo (e você) precisa. 

Por Fernanda Guimarães

Como Reduzir Gastos – Primeiro Passo: ALIMENTAÇÃO

É hoje! Começam as dicas práticas para redução de gastos que com certeza farão uma grande diferença no seu bolso no final de cada mês. Como insito em dizer, não acredito que cortes no orçamento sejam a estretégia mais indicada como solução das dívidas, mas, combinados com a renegociação de dívidas e as informações de direito que fazem mais diferença no seu bolso, certamente otimizam o resultado.
Para começar, vamos nos deter na necessidade mais básica de todas: a alimentação. Muitas vezes o dispensável acaba virando indispensável em função das diversas tentações que os corredores, sempre lotados de novidades, dos supermercados nos apresentam. Porque, vamos confessar, é realmente muito gostoso não só comer, como também fazer as compras de alimentos. Eu adoro ir ao supermercado; até porque aqui em Porto Alegre eles costumam ser muito confortáveis. E não acho sinceramente que devemos nos privar de nenhuma destas duas coisas.
Abaixo seguem algumas dicas clássicas para a hora do “rancho”. Adapte-as dentro da sua realidade e aproveite.

1 – Antes de ir ao supermercado crie uma lista de compras com os produtos necessários. Ao realizar suas compras, leve para casa apenas os itens que constam em sua lista. Parece simples, mas ir às compras sem objetivos definidos será disperdício na certa;

2 – Nunca vá ao supermercado com fome. Alimente-se bem antes de fazer suas compras, pois a sua vontade de comer pode interferir na escolha dos itens a comprar;

3 – O desejo de consumir é despertado com a imagem e o cheiro de um produto. Não se deixe conquistar pelo maravilhoso cheirinho de pães fresquinhos da padaria. Lembre-se de comprar apenas o necessário;

4 – Tente evitar as compras seguidas em supermercado. Quanto menos você freqüentar, menor será sua chance de consumir algo desnecessário. Comprar todos os produtos necessários de um mês em uma única vez, ou seja, “fazer o rancho” é preferível a ir comprando mercadorias à medida da necessidade, pois, na maioria das vezes, não temos a disciplina necessária para comprar apenas os itens de que precisamos;

5 – Pesquise bem antes de fazer suas compras. Os hipermercados costumam fazer ofertas diárias de segmentos diferentes. Exemplo: Segunda-feira é o dia das verduras e frutas mais frescas, terça-feira é o dia de carne, quarta-feira está na promoção às bebidas e assim sucessivamente. Quem optar pelo “racho mensal” – e não tiver tempo de ir ao supermercado especificamente para comprar um produto – deve escolher o dia da semana em que estão em oferta os itens que aparecem em maior quantidade na sua lista ou os mais caros (em geral as carnes).

Essas promoções são interessantes e compensatórias. Lembre-se de que ao ir ao hipermercado para comprar um produto em promoção você deverá realmente priorizar aquele produto necessário e que motivou sua ida àquele estabelecimento. Confira o preço dos outros produtos não anunciados na oferta antes de incluí-los no seu carrinho. Em pequenos mercados, pode acontecer de o preço estar mais caro para compensar o desconto fornecido no produto que lhe trouxe até o estabelecimento, pois dificilmente conseguem competir em todas as ofertas com as redes de supermercados. Um exemplo clássico é a carne para churrasco nos finais de semana. Se no mercadinho da esquina da sua casa a costela estiver em oferta, certifique-se que não estará pagando todo seu “lucro” no saco de carvão acima do preço.

E, claro, fique de olho na hora em que os produtos estiverem sendo registrados no caixa. O consumidor tem direito a pagar o menor preço do produto, seja este o da gôndola, o do encarte publicitário ou da etiqueta do produto. Segundo reportagem da Revista Pro Teste de março de 2010 (abaixo), houve significativa diferença de preços entre o encarte publicitário e os valores efetivamente cobrados no caixa. As empresas “condenadas” foram o Walmart, Carrefour e Extra, Guanabara e Sendas, Compre Bem e Pão de Açúcar. Nesta exata ordem de proporções de erros encontrados na pesquisa.

Já reparou ainda que algumas empresas nos ajudam padronizando a localização dos produtos dentro de suas lojas? Particularmente, nas duas lojas do hipermercado que frequento, valorizo a economia de tempo que é já saber onde encontrar cada um dos ítens que procuro.

Lembre-se ainda de que economizar no valor final do mês nas compras de supermercado é ótimo, mas não é o mais importante quando se trata de atendimento ao consumidor. Usando duas máximas já conhecidas por todos, o barato pode sair caro e economizar é comprar bem. Ou seja, não é só o preço que faz a diferença. Adianta comprar um produto barato e depois incomodar-se muito para ter seu direito de troca respeitado? Saber que seu direito será respeitado na hora e depois da compra, na ponta do lápiz, também é uma forma de economia.

Por Fernanda Guimarães


2010 no Azul

O “2010 no Azul” foi um projeto do Grupo Bandeirantes, coordenado por Fernanda Guimarães, que ofereceu a duas famílias gaúchas a possibilidade de tirar o orçamento do vermelho e entrar 2010 no azul. Com o objetivo de reorganizar a situação financeira delas, o projeto envolveu os veículos Band TV, as rádios Band AM 640, BandNews FM 99,3 e o site da Band RS.

As famílias foram escolhidas entre 487 inscritas, das quais 82 foram entrevistadas dentro do período de 1 mês, chegando finalmente às duas famílias selecionadas. Estas famílias foram assistidas mensalmente, a partir de junho de 2009, pela advogada Fernanda Guimarães e sua equipe que indicaram onde podem ser feitos os cortes nos gastos, quais as despesas podem ser readequadas ou trocadas por outras menores, estabelecendo um objetivo para março de 2010. E quando o objetivo foi atingido, as famílias ganharam um notebook cada.

Durante todo o período da consultoria, os veículos fizeram reportagens mensais para acompanhar os avanços e conquistas do dia a dia das famílias, bem como entrevistas com a Advogada Fernanda Guimarães. O projeto foi um enorme sucesso, modificando a vida financeira das duas famílias eleitas e também dos ouvintes e telespectadores que acompanharam as dicas e depoimentos.

Você pode ter acesso aos materiais de áudio e vídeo no site da Band RS, e a partir de agora acompanhar pelo blog o passo a passo de como mudar sua vida financeira



Por Gabriela Maslinkiewicz

Palestra Saúde Financeira

Portabilidade de dívidas, isenção de tarifas bancárias mensais e proibições de cobrança de encargos pouco conhecidas, se aplicadas, podem fazer muita diferença no orçamento de uma família. Assim, com o objetivo de enfrentar o passado, ou seja, os problemas já armados e existentes (as dívidas), na palestra que ocorreu neste sábado, dia 25, na EXPOMONEY São Paulo, a advogada Fernanda Guimarães mostrou como é possível se livrar de dívidas já contraídas sem que medidas drásticas sejam tomadas.

“Há quem aposte todo o sucesso de suas finanças na diminuição de despesas. Muitos bons economistas tecem coerentes discursos sobre como reduzir gastos dentro do orçamento. Sinceramente, tenho muitos argumentos para discordar dessa solução para o endividamento. Minha sugestão: foque todas as suas energias em como aprender a reduzir as dívidas. Acho muito mais eficiente. Informação de qualidade faz muito mais diferença no seu bolso do que sofrer tentando reduzir o tempo debaixo do chuveiro para economizar energia elétrica. Dizer que é preciso viver com o que se ganha é fácil. Complicado é fazer valer isso no dia-a-dia de cada um, quando nos deparamos com as vitrines, os problemas de saúde e os parentes precisando de dinheiro.”

A palestra abordou com um enfoque diferente o assunto da renegociação de dívidas. Através de dicas eficazes, baseadas não só na experiência de mais de 12 anos no mercado da harmonização das relações de consumo, mas também na disciplina legal vigente em nosso país a respeito do tema, provou-se que a combinação da renegociação de dívidas com um controle dos gastos moderado e coerente é certeza absoluta de sucesso. Isso porque aprender a reduzir as dívidas é o mais eficiente e a informação de qualidade – em especial sobre direito do consumidor – é o que mais faz a diferença para a redução de gastos e de dívidas.

Renda mensal ou anual – Qual é sua renda afinal?

Brasileiro tem mania de planejar seu orçamento mês a mês. Entra o salário, chegam as contas, e só se pensa em como escapar daquele sufoco. Chegar o mês seguinte e começar tudo de novo. Como escapar então desse sofrimento a cada 30 dias?

A melhor saída é planejar o orçamento para o ano todo. A maioria das pessoas recebe o mesmo salário todos os meses, apesar de existirem possíveis variações. As contas também costumam ser as mesmas: água, luz, telefone, colégio, aluguel. Só que existem as outras despesas e rendimentos que tem periodicidade anual e acabam não sendo percebidas desta forma no orçamento. E é quando chega o IPTU, o IPVA ou a anuidade dos Conselhos de Classe para os profissionais liberais que bate aquele desespero, como se fossem “imprevistos” dentro dos gastos mensais.

Por isso, o modo mais inteligente de se organizar é fazer um plano anual, que gerencie a renda e a despesa de todo o período. Assim, evitam-se as surpresas e os desgostos de lidar todo mês com apertos no orçamento. Sem falar que fica muito mais fácil equacionar e programar os pagamentos futuros.

E o contrário também vale. Ou seja, as “rendas extras” também devem entrar na programação do orçamento anual. Um bom exemplo de como fazer isso é desde logo planejar como vai ser gasto o 13º. salário. Ele é uma das grandes vantagens de quem tem carteira assinada, logo, o melhor é tirar o máximo de proveito desse benefício. Deixar para pensar o que fazer com essa renda extra na última hora aumenta a probabilidade que o seu destino seja algum supérfluo. Ainda pior, o 13º. pode dar a impressão de dinheiro de sobra, o que eventualmente leva a gastos que, no futuro, significarão mais dívidas.

Já notou que os americanos, ao serem perguntados sobre sua renda, automaticamente respondem o valor total anual recebido? Mesmo que muitas das tendências que vêm da “Terra do Tio Sam” não sejam, digamos, o melhor exemplo a ser seguido, esta forma de enxergar e planejar o orçamento familiar anualmente é muito proveitosa. Assim, vamos copiar as coisas boas também e chega de tratar como “imprevistos” os velhos conhecidos que batem a nossa porta todos os anos.

Por Fernanda Guimarães