O que há na palavra endividado?

Certa vez li numa coluna dessas revistas femininas que a gramatical seqüência de letras de uma palavra representa muito mais do que simplesmente os sons de sua pronúncia. E não estavam falando de numerologia, mas do significado energético que a utilização de cada uma delas nos impõe. Então, nesta seara, será que as dívidas continuariam nos preocupando demasiadamente se parássemos de falar tanto nelas? A palavra liquidação escrita em uma vitrine não nos passa mais sensações do que somente a sua definição dada pelo dicionário?


Uma palavra confere também o nosso nome e define uma condição de vida, como o fatídico adjetivo endividado. “Estou cheio de dívidas” – adianta repetir isto aos quatro ventos? As contas desaparecem com lágrimas e noites sem dormir? A resposta, obvia, é não. Definitivamente, nem gritos e nem tristeza pagam dívidas.

E mais: também não se resolvem dívidas com descaso e anulação. Ao receber as contas do mês, portanto, não vai adiantar simplesmente jogá-las no lixo e dormir como se nada tivesse acontecido. Esqueça o esquecimento como saída das dívidas. É preciso conhecer cada um dos débitos para renegociá-los bem e em valores que realmente caibam no orçamento, não comprometendo mais que 20% dos seus ganhos. Como fazer isto? Entrando numa dieta financeira, que posso adiantar é bem melhor e mais gratificante do que ficar sem comer chocolate.

Com uma organização do orçamento doméstico, técnicas práticas de educação financeira e, principalmente, conhecendo seus direitos como consumidor e cliente bancário, é possível sim reverter saldos devedores, argumentar descontos e equilibrar permanentemente suas contas. Tenha certeza, o poder da informação faz muita diferença no seu bolso. Acredite e se muna de palavras com vibração positiva. Você não está endividado, mas sim em um processo de reestruturação que lhe trará muito conhecimento do mercado e de si. Aquilo que se deixa sair sob a forma de palavras volta sob a forma de experiências.

O fato é que os pensamentos têm a capacidade de criar e podem literalmente moldar uma vida. Todos nós ouvimos com bastante freqüência a frase: “Não faça aos outros o que não quer que lhe façam“. Mais que uma maneira de criar culpa, seu verdadeiro sentido é que, aquilo que você deixa sair, acaba voltando.


Por Fernanda Guimarães Martins
3 respostas
  1. Anônimo
    Anônimo says:

    Bilhões de dinheiro publico são usado diariamente para fechar rombos causados por empresas e corporações que saqueiam os cofres da união, golpes, calotes, falências e dissoluções corporativas custam bilhões aos cofres públicos. O cliente final pessoa física desses bancos estão sempre do lado das desvantagens, da exploração e especulação, no entanto uma das instituições que vem publicando constantemente nos meios de comunicação a queda dos juros, cobranças administrativas, taxas de transações bancarias etc. não e ninguém menos do que o banco do Brasil, caixa econômica federal, a verdade e que toda essa publicidade não muda a verdade de que o Brasil pratica uma das maiores explorações financeira do mundo, as mais altas porcentagens de juros, taxas abusivas de manutenção da conta, cobranças por quase todas as movimentações financeiras mesmo que seja no banco onde o cliente tenha a sua conta, ainda que uma agencia seja da mesma rede de bancos o cliente e obrigado a fazer ou requerer qualquer serviço na mesma agencia onde ele abriu a conta por causa da burocracia e exigências do banco. Quando reclamações são feitas aos gerentes desses bancos eles tem a coragem de agravar o cliente ainda mais, com respostas tais como “o banco não e uma instituição de caridade” isso indigna qualquer cidadão, e a verdade e que eles são sim instituições de caridades operando com bilhões de dinheiro proveniente de salários mínimos, depósitos feitos por assalariados, não por corporações bilionárias. Alem das dificuldades de seguir o movimento de sua conta por causa das manobras feitas pelo banco para cobrar em todas e diversas diferentes transações financeiras mesmo que elas estejam relacionadas em uma mesma intenção de serviço.
    Os bancos e instituições financeiras agradecem pelos bilhões depositados pelos milhares de assalariados e cidadãos brasileiros retribuindo os com um dos mais abusivos, desleal serviços financeiros do mundo.
    O nossos legisladores, câmara dos deputados e senado federal se calam diante de tanta exploração, abusos e especulação, o silencio de nossos representantes em relação a todos esses negócios desleais não e uma aprovação ou um sinal verde a essas praticas financeiras, isso e pelo menos o que você pensa, na verdade não e só apenas uma aprovação e sinal verde, mas uma verdadeira demonstração de que eles não estão sentados nessas cadeiras do senado e da câmara fazendo o que eles obrigatoriamente deveriam estar fazendo, defendo os interesses do eleitorado brasileiro e não se calando aos abusos e deslealdades comerciais corporativas.
    Existe uma corrida para ver quem e que se apossa mais dos recursos e patrimônio publico gratuitamente ou por quase nada, o governo acelera o processo de privatização dos bens públicos que custaram bilhões entregando gratutitamente, consórcios, corporações internacionais se apoderam do patrimônio publico através de contratos que duram décadas. O consorcio Inframerica logo depois de assinar contrato para gerenciar o aeroporto de Brasília recebe aprovação de empréstimo de $488 milhões pelo banco BNDS. Assim fica muito fácil, o patrimônio e também o dinheiro publico basicamente e ofertado a essas concessionárias.

    Responder
  2. Anônimo
    Anônimo says:

    Os cidadoes brasileiros sao vitimas de um dos mais aldaciosos golpes de expeculacao financeira Que já existiu na era moderna e causa drásticas reduções no poder e valor de compra de suas economias, um jogo de interesses lucrativo ambicioso que causa perdas e prejuízos gigantescos no bolso e na qualidade de vida dos brasileiros, um ataque injusto, infiel, desonesto, desleal aos interesses do Cida does brasileiros e segurança social, econômica e financeira nacional. Empresas, corporações e negócios que empilham suas riquezas com a vulnerabilidade e falhas dos sistemas de controle e regulamentação governamental, faturam bilhões com a falta de opção competitiva e de escolhas disponíveis no mercado brasileiro. O governo e representantes legislativos erram gravemente na defesa e proteção dos interesses econômicos e financeiros da nação e dos cidadãos brasileiros, falham em não ditar as regras e se recusam em exigir explicações de especuladores e corporações capitalistas que escolhem conduzir deslealmente seus negócios dentro do território geográfico da federação brasileira deixando o cidadão brasileiro sempre no lado da desvantagem. UM exemplo notório de que essas corporações estão ditando as regras quando se trata de fazer negocio dentro do território geográfico nacional, ESTADO Brasileiro e principalmente quando fazendo negócios direto com o governo foi à criação da lei da FIFA "ou copa” uma corporação capitalista que e referida e tratada pelo governo brasileiro como um ESTADO, os interesses econômicos, financeiros e de segurança nacional são paralisadas para a FIFA passar e quanto aos interesses do cidadão brasileiro e a constituição brasileira?
    Por que o cidadão brasileiro paga bem mais caro por produtos e serviços do que em países onde o valor do salário mínimo e muitas vezes maior que o valor nacional.
    Por que mesmo com o preço e custo de maos de obra e matéria prima muitas vezes com o custo e valor inferior do que em países de primeiro mundo o valor repassado ao publico brasileiro e muitas vezes maior.
    Por que somos obrigados a pagar por juros e tarifas bancarias e lucros exorbitantes dos bancos , servicos de telefonias , precos e custos de automoveis muitos vezes mais caros e claramente abusivos e desleais .

    As desculpas pelos motivos de tanta exploração e especulação desafiam a inteligência dos cidadãos brasileiros, mas não justificam os abusos, a deslealdade e infidelidade corporativa com o publico e clientela brasileira, o cidadão brasileiro merece o melhor e merece mais respeito e consideração dessas corporações, afinal e o povo brasileiro que esta patrocinando e garantido que seus netos sentem em bilhões e em troca recebendo menos do que o seu dinheiro esta pagando e vale. Enquanto isso nossas crianças andam descalças nas ruas das cidades brasileiras, expostas a todos os tipos de infelicidades, exploração, abusos e falta de preparação e oportunidades que lhes garantam um futuro mais certo, justo e com maiores chances de competir a uma vida mais digna e humana.
    brasiliausaonline.com

    Responder
  3. Anônimo
    Anônimo says:

    O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou um empréstimo-ponte de R$ 488 milhões para o consórcio Inframérica, que assumiu a administração do Aeroporto Internacional de Brasília em novembro.
    Falha no sistema de informação computadorizada bancaria de bancos somadas as táticas e manobras para arrecadar lucros para os bancos podem custar bilhões anualmente ao bolso do cidadão e alimentar uma industria bilionária de exploração e especulação financeira no coração da economia brasileira, o que deveria ser um mercado livre e competitivo em um pais de democrático capitalista, empresas e corporações financeiras privadas e publicas que compete pelo um mesmo mercado esta cercada por interesses corporativos financeiros que vivem da exploração e especulação de um sistema financeiro frágil, mal regulado e fiscalizado pela instituição fiscalizadora financeira que deveria proteger os interesses do pais e do povo brasileiro, cobranças por serviços que deveriam ser oferecidos gratuitamente, juros exorbitantes, taxas e cobranças financeiras por simples serviço de conta corrente, supostos privilégios de cobrança dependendo de sua função profissional ou tamanho dos lucros e benefícios em favor do banco, serviços claramente discriminatórios onde cada cliente recebe tratamento e atendimento diferenciado, abuso com cobranças administrativas que achata o poder de compra do salário e limita as chances de obtenção de credito de cada cidadão brasileiro.
    Para se ter uma idéia da fragilidade e a falta de competitividade econômica brasileira e os motivos dos abusos, exploração e especulação financeira que alimenta uma indústria de agiotagem bilionária no coração da economia brasileira e vem a séculos causando deficiência no desenvolvimento econômico, financeiro e social dos cidadãos brasileiras e paralisando as chances de prosperidade e avanços sociais do país inteiro basta olhar na quantidade de instituições bancarias que tem a suas portas abertas para negocio dentro do território geográfico brasileiro, enquanto que os estados unidos possuía um total de 6,453 diferentes bancos somente durante o ano de 2011 o Brasil possui de acordo com dados do banco central do Brasil apenas 177 isso incluindo instituições financeiras com múltiplas carteira comercial.
    Desvalorização da moeda brasileira, falta de confiança nas instituições de fiscalização financeira e o atual modelo de economia afasta verdadeiros e legítimos investidores e estimula o sistema de especulação e exploração que causa bilhões em prejuízos aos cofres públicos e as economia e finanças dos cidadãos brasileiros

    Cobranças bancarias custo mensal custo anual
    Conta corrente $20,50 $246 reais
    Juros cartão de credito 20 % 240%
    Anuidade nacional de C/C $2,25 vezes 12
    Multas por atraso Variavel Variavel

    Responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *