Filas de banco ainda superam tempo determinado por lei

Em uma era onde a internet se tornou o canal de atendimento bancário mais usado
pelos brasileiros (no ano passado, de acordo com o Banco Central, a internet foi
responsável por 31% das transações bancárias, ultrapassando pela primeira vez os
terminais de autoatendimento), era de se esperar que houvesse um maior número de
pessoas deixando de ir às agências, porém, a realidade se mostra diferente, e
pagar uma conta ou fazer uma operação na boca do caixa continua sendo um
exercício de paciência. 

 
Desde o início deste ano, os grandes bancos
brasileiros se comprometeram a reduzir o tempo de espera nas filas a até 20
minutos nos dias normais, e até 30 minutos em dias de pico, como dias de
pagamento. O compromisso dos bancos foi assumido junto à própria Federação dos
Bancos Brasileiros (Febraban). Esta informou que duas pesquisas, realizadas em
2006 e 2009, em oito capitais, mostraram que o tempo de espera nas agências vem
diminuindo. A pesquisa apontou que o percentual de atendimentos em até 15
minutos aumentou de 55% em 2006 para 63% em 2009, e a participação do número de
clientes que levou mais de 40 minutos para ser atendido diminuiu de 18% (2006)
para 15% (2009), diz a entidade em nota. 
 
Locais 
Em muitas cidades,
leis municipais determinam que esse tempo seja ainda menor. Em Porto Alegre, por
exemplo, a Lei Nº 9.992, de 6 de junho de 2006, chamada “Lei da Fila”, determina
que a espera máxima é de 15 minutos para dias normais e de 20 minutos para
véspera ou após feriados prolongados e em dias de pagamentos de funcionários
públicos municipais, estaduais e federais. Você pode ver a íntegra da lei aqui
Os mesmos 15 minutos são o tempo determinado por lei municipal em
Salvador. O descumprimento da lei levou inclusive à interdição de uma agência
bancária na capital baiana no ano passado. Já em Brasília o tempo máximo de
espera estipulado em lei é de 20 minutos. Em São Paulo, a lei municipal de 2005
que limitava a 15 minutos deixou de valer em 2007, por decisão do Superior
Tribunal de Justiça. 
 
Procure seus direitos 
Desde agosto de
2010, a legislação referente às filas em Porto Alegre, que prevê a fiscalização
do tempo máximo de espera nas filas dos bancos e lojas de telefonia, passou da
SMIC para o Procon Porto Alegre. Da mesma forma, as multas eventualmente
aplicadas pelo órgão são destinadas ao Fundo Municipal de Direitos Difusos, para
a criação de projetos voltados à educação e proteção dos consumidores de Porto
Alegre. Tal mudança é positiva, uma vez que é no Procon que os consumidores
regularmente reclamam da demora no atendimentos dos bancos e também das lojas
das operadoras de telefonia. Essa reclamação pode ser feita através de um
formulário, baixado do site do Procon e entregue diretamente em sua sede. 
Por Mauro Gomes

7 respostas
  1. Anônimo
    Anônimo says:

    Fica fácil jogar a responsabilidade para o banco. O consumidor não quer ficar mais de 15 minutos na fila e não comperam para isso.Como posso relatar algumas situações: o consumidor quando chega ao caixa nunca leva as contas somadas, sempre pedem para nos caixas somarmos, verificar sem tem juros ou descontos para depois ele decidir qual conta vai pagar e se o dinheiro vai dar. Nunca calculam os juros e não preenchem o valor que vai pagar na fatura do cartão de crédito. Sem contar que muitos levam o cheque em branco pedem para nos caixas somarmos todas as contas, depois preenche o cheque para assim iniciamos os pagamentos. Depois um sujeito desse quer ficar menos de 15 minutos na fila.Acho que nessa cartilha deveria conter informações de como as pessoas deveriam ir ao banco pagar suas contas.Enquanto os consumidores irem ao banco pagar sua contas como se estivessem em um supermercado vai ficar dificil atendê-los em 15 minutos. Isso tudo sem contar a fila do caixa preferencual que todo mundo acha ter direito de usá-la inclusive as mulheres com a criança de colo que pegam a fila mas quem vai utilizar os serviços e o marido. Isso, não seria exploração de criança? O que ela foi fazer na agência por que não ficou em casa cuidando do filho?Será que tem a necessidade de ir a família inteira pagar as contas do mês? Essas são só algumas situações que ocorrem diariamente em um banco! Será que o problema esta so com os bancos? Ufa! Um desabafo de um caixa qua não aguenta mais esses absurodos e ainda sou obrigado escultar de um desses clientes que quer a fila demorou!!

    Responder
  2. Anônimo
    Anônimo says:

    Vou ao embargo do seu ponto de vista, de que os consumidores não querem ficar esperando 15 minutos em uma fila do banco se coloque na situação deles: estão trabalhando, tem 2 horas de almoço vai a um banco resolver um problema pendente e passam de 30 minutos à 1 hora em uma fila do banco e ai como fica a situação do consumidor, e tem mais e esses argumentos de que os consumidores deveriam ir ao caixa com as contas somadas não existe, pois e um direito do consumidor pedir que os funcionários do banco confiram o que estão fazendo.

    Responder
  3. Anônimo
    Anônimo says:

    Opa, a legislação é clara ao informar que o tempo de espera é até o efetivo atendiemnto nos caixas registradoras, o tempo que você vai levar para ser atendido nos caixas não computam…

    Responder
  4. Anônimo
    Anônimo says:

    O tempo tem que ser cumprido nao importando o c o cliente trouxe as faturas somadas ou nao. Cabe o órgão aumentar o numero de empregados e dar conta do atendimento. 2hrs de almoço. Em media a população possui 1hr no máximo e qd infelizmente tem q ir ao banco fica quase ou toda ou mais que esta hr para ser atendido. Estas instituições possuem condições suficientes para prestar um serviço digno ao cliente. Cabe aos bancos diminuírem seus lucros astronômicos e dar um pouco de alento a uma população cansada de sofrer

    Responder
  5. Anônimo
    Anônimo says:

    Boa tarde! Concordo plenamente com você. Mas o culpado nisso tudo não e o caixa e muito menos o usuário… O banco deveria contratar "agentes, consultores, atendentes…. Seja qual for o nome escolhido pelo banco… Colaboradores capacitados para ficarem no atendimento PRÉ CAIXA… Já existe alguns bancos que trabalham desta forma, afinal ELES recebem BASTANTE para nos atender…

    Responder
  6. Edinho.net7
    Edinho.net7 says:

    O caixa tem o seu percentual de razão, há muitos clientes malas… mais em virtude de está em aumento as transações via net. o banco não deve reduzir seu quadro de funcionários e sim treiná-los para atendimento pré caixa conforme sugestão do anônimo. Afinal de contas na hora de fazer uma reclamação o cliente sempre prefere ir conversar direto com uma pessoa e não com uma máquina.

    Responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *