Como Reduzir Gastos – Décimo Passo: VESTUÁRIO

O
vestuário é, para algumas pessoas, um poço sem fundo nas despesas. Mas é
possível economizar na sua roupa,
principalmente quando se está com problemas financeiros e tem de decidir onde
fazer os cortes. Com um pouco de planejamento, é possível encontrar bons
negócios e boas peças de roupa para enfrentar os dias difíceis que aí vêm.
Basta que elimine as compras compulsivas e procure os locais e alturas certas
para as compras.
Muitas
vezes nem sequer se precisa comprometer a qualidade do vestuário. Não
é apenas no supermercado que tem gente substituindo o que está caro pelo mais
em conta. Quando o assunto é roupa, também dá para substituir. De acordo
com a Fundação Getulio Vargas (FGV), o vestuário representa 6,81% dos gastos
das famílias e teve um aumento de 4,56% nos últimos 12 meses. Blusas femininas
ficaram 12,91% mais caras. Vestidos e saias subiram 14,27%.
Outro
estudo, realizado pela TNS InterScience, apontou que a distribuição de gastos
da classe média alta, com renda média familiar de R$ 8,3 mil, é bem diferente
das populares. Enquanto as classes menos privilegiadas gastam 32% dos seus
rendimentos com moradia, a média alta gasta 11%, menos do que com vestuário
(13%) ou lazer (12%).
Como
o peso dos gastos com moradia e alimentação é menor, a distribuição é mais
equilibrada, ou seja gastam mais com vestuário, lazer, educação e viagens”
diz a especialista.
Falando diretamente
para as mulheres, o que difere as mulheres dos homens nesse aspecto é que pra a
variedade sem fim de roupas de todos os estilos, cores e preços, e a quase
necessidade de ter uma novidade no guarda-roupa, ou uma roupa mais diferenciada
pra uma ocasião especial. O pecado é não pesquisar preços e agir por
impulsividade. Seria interessante dar uma olhada nas outras lojas em blusas
similares, às vezes até iguais, para comparar os preços e comprar, obviamente,
na loja em que a qualidade for igual, mas com um preço menor.

Outra dica antiga,
mas que é muito válida na hora de economizar com vestuário, é aproveitar as
trocas de estação. Roupas mais básicas que não saem de moda podem custar muito
menos quando compradas nas liquidações de troca de estação. Os descontos
realmente são grandes, podendo variar de 30% a 80% em média. Dessa forma, você
sempre terá uma roupa legal pagando muito menos por ela.
Aqui ficam agumas
dicas da Dra. Fernanda Guimarães para cuidar do seu bolso sem sair da moda:
1 – Rodízio de roupas? Parece estranho e fora de
moda, mas a verdade é que a moda é um ciclo. O que está na moda hoje,
provavelmente estará na moda dentro de alguns anos. Guarde suas roupas, mesmo
aquelas que você julga estar fora da moda, pois no próximo ano elas poderão ser
a nova tendência de consumo. Lembre-se também que para andar na moda não
precisa gastar sempre. Com um pouco de criatividade é possível ser elegante e
de bolso cheio.

2 – Alguém já lhe parou na rua e pediu para analisar a sua pulseira ou a sua
corrente para saber se realmente era de ouro? Então, umas bijuterias às vezes
causam o mesmo efeito de uma jóia cara, com um custo bem mais barato.

3 – Criticar a quantidade de calçados de uma mulher é como tentar criticar os
gastos de um homem com bebidas. Coisas que não se justificam. Em geral as mulheres
costumam ter pares variados de sapatos, prontos para combinar com qualquer
bolsa ou vestido elegante. Será que conseguimos repetir de sapato às vezes?
Realmente é necessário utilizar um par de sapatos novo em cada ocasião
especial? Se este não é o seu caso, que bom, continue assim, mas para uma
grande quantidade de mulheres o prazer de comprar um sapato novo é
indescritível.

4 – Vender roupas usadas … Passou pela sua cabeça? E pode ser até pela
internet! Esse mercado existe e paga preços razoáveis, principalmente se a
roupa for de alguma grife. Considere e hipótese não só de vender, mas também de
fazer um bom negócio comprando peças semi-novas. Os sites de leilões virtuais
são ótimos para isso.


5 – Comprar
só quando realmente se precisa é quase impossível, mas é o fator que faria a
maior diferença no seu orçamento. A verdade é que a maior parte das pessoas não
compra roupa quando precisa, mas antes por outros fatores. Pode ser por
diversão, por aborrecimento, etc. Não faça isso! Compre roupa apenas quando
precisa de trocar alguma peça que já não possa utilizar.
6-
Promoções são ótimas, se você esperou por elas. Se realmente aguardou para
comprar aquela peça que era uma necessidade por um preço melhor. Por que estas
também podem ser um grande vilão no orçamento, quando a mágica do desconto lhe
faz comprar mais peças do que necessitava, itens que não eram prioridades ou gasta
valores que não estavam em seu planejamento para o orçamento do mês.
Por Gabriela Maslinkiewicz
1 responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *